Muitos cabo-verdianos têm acesso a dispositivos de e-learning, mas persistem desvantagem de pobreza e de residência rural

Social capital

Muitos cabo-verdianos têm acesso a ferramentas para e-learning durante a pandemia do COVID-19 – televisões, rádios, telemóveis, e computadores – mas as gentes dos meios rurais e os pobres estão em desvantagem significativa, conforme mostra uma nova pesquisa do Afrobarometer.

A maioria dos telemóveis em utilização no país tem acesso à Internet, e a maioria dos cidadãos utilizadores permanece online todos os dias, segundo a pesquisa. Mas ainda existem grandes diferenças entre as áreas rural-urbana e a pobreza na propriedade de dispositivos, acesso à Internet, e uso da Internet.

Após o encerramento das escolas devido à pandemia do COVID-19, o governo cabo-verdiano vem aproveitando tecnologias como televisão, radio, e Internet para oferecer oportunidades de aprendizado remoto aos estudantes. Embora Cabo Verde seja classificado como o quarto país mais alfabetizado da África, este facto sugere que os cidadãos pobres e dos meios rurais podem enfrentar desafios para acessar as plataformas de e-learning disponibilizadas pelo governo.