Angolanos defendem igualdade salarial para mulheres com funções iguais aos homens

Dois terços dos angolanos defendem que as mulheres devem receber salário igual aos homens com funções iguais, revelou o novo inquérito do Afrobarometer. Os homens são tão
favoráveis à igualdade salarial quanto as mulheres. A maioria dos inquiridos asseguraram que a paridade de género é uma realidade em Angola, sobretudo nas oportunidades de acesso à escola, trabalho e posse ou herança de terras.

Contudo, as mulheres estão em desvantagem comparativamente aos homens noutros indicadores relevantes como a paridade económica, incluindo obtenção de graduação académica, poder de decisão financeira e a acesso regular à Internet. Esta constatação chama atenção para o caminho que se precisa percorrer para cumprir o 5º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, "Alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas." Em 2019, Angola ficou na posição 112º entre 129 países no Índice de Igualdade de Género ODS 2030.